Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

   «Fernando Pessoa em flagrante delitro»: dedicatória na fotografia que ofereceu à namorada Ophélia Queiroz em 1929. Um poeta com sentido de humor.   Fez oitenta anos que o poeta morreu. O ano da morte de Fernando Pessoa foi 1935 no dia 30 de Novembro. O poeta passou pela vida de forma discreta, mas a sua obra libertou-o da lei da morte: o esquecimento. Inteligência rara e criativa, (...)
13 Jun, 2014

Quadras populares

O que têm em comum santo António e Fernando Pessoa? O santo baptizado como Fernando morreu em Pádua em 13 de Junho de 1231. Pessoa nasceu n odia 13 de Junho de 1888. Haverá coincidências?!   No dia de santo António Nasceu Fernando Pessoa E o seu primeiro pensamento Foi p´ras moças de Lisboa    No arraial em Lisboa Cruzou olhares com Ofélia E num repente… amou-a E ofereceu-lhe uma camélia   No Porto no são João Voltou a sentir-lhe o cheiro Terno pegou-lhe (...)
 Neste poema Pessoa dá corpo à conhecida frase "o poeta é um fingidor" pois embora, por um lado, com ironia e humor, apresente uma critica ao natal da obrigação, por outro mostra uma certa nostalgia por não ser também protagonista desse  mesmo Natal.. . Chove. É dia de Natal Chove. É dia de Natal. Lá para o Norte é melhor: Há a neve que faz mal, E o frio que ainda é pior. E toda a gente é contente Porque é dia de o ficar. Chove no Natal presente. Antes isso que nevar. Po (...)
«Fernando Pessoa em flagrante delitro»: dedicatória na fotografia que ofereceu à namorada Ophélia Queiroz em 1929. Um poeta com sentido de humor.   O ano da morte de Fernando Pessoa foi 1935 no dia 30 de Novembro. O poeta passou pela vida de forma discreta, mas a sua obra libertou-o da lei da morte: o esquecimento. Inteligência rara e criativa, pensador livre e descomprometido, (...)
02 Abr, 2010

Ser português

   Considero-me um cidadão do mundo, mas orgulhosamente português.  Ser português é ser diferente porque caldeado na diversidade de uma genética multicultural.  Ser português é dominar meio mundo e continuar a ser modesto, tolerante, solidário e agregador de povos e culturas.  Ser português é ousadia, é aventura, é remar contra pessimismos e velhos do Restelo.  Ser português é (...)