Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O livro proibido de Saraiva

por Naçao Valente, em 16.09.16

José António Saraiva é um arquitecto que nunca arquitectou nada. Nem uma casota para cão. Ainda bem para o cão. Não sei como, nem me interessa, armou-se em jornalista e assim ganha vida. Depois de sair do Expresso, fundou o Sol. Um fiasco. Falido vai sobrevivendo com dinheiro angolano, e fazendo o seu papel de tablóide semanal. Enfim,a vida custa a todos e cada qual ganha-a como pode.

Não se conhece ao arquitecto enquanto escritor qualquer obra relevante. No entanto, vai agora lançar um livro "Eu e os políticos" que segundo consta aborda a vida de alguns políticos na intimidade. O autor assume o papel de voyeur espreita pela fechadura e conta o que se passa no remanso da alcova. São várias as vitimas da devassa, umas vivas outras mortas. Diz quem teve acesso a esse big brother em versão letra de imprensa, que estamos perante uma abordagem degradante da vida alheia. Protagonismo e dinheiro, para si e para a sua editora, (Gradiva) são a razão ser da "porno chachada". Mas revela sobretudo a incapacidade do autor em firmar-se como um escritor sério.

António José Saraiva, pai deste "escrevedor" foi um grande estudioso da literatura. Deixou obra de relevo publicada,e hoje referência para o estudo da nossa literatura. Tem um percurso pautado pela competência, pelo rigor, pela inovação, pelo bom senso. Tem lugar garantido na história. Merece a minha gratidão e o meu respeito. Quem sai aos seus não degenera. Pelos vistos este filho da mãe (e do pai) degenerou.

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:19





Comentários recentes