Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Já não há homens assim

por Naçao Valente, em 13.09.16

A relação entre um cidadão que tem dinheiro nas contas dos amigos  e um certo juiz de instrução não é apenas uma relação jurídica. No comportamento e nas declarações  o juiz mostra um certo ódio visceral ao dito sujeito. Mandou prendê-lo à primeira oportunidade, manteve-o preso enquanto a lei o permitiu, considera-o culpado antes de ser acusado e de ser julgado.

Numa abordagem meramente especulativa, encontro a explicação para este ódio, nas razões que passo a descriminar: de acordo com os critérios de beleza ocidentais (subjectivos) o sujeito é bonito e elegante e o juiz é feio e gordo; o primeiro tem dinheiro para comprar uns ténis de marca, o juiz precisa de fazer horas extraordinárias para os pagar;  o outro ,passa férias em sítios paradisiacos e até as passou, recentemente um ano numa bonita cidade portuguesa à conta do Orçamento do Estado; o juiz não goza férias, nem na praia de Pedrouços. Trabalha, trabalha, trabalha. A bem da Nação. Já não há homens assim. Que seja abençoado. É a  melhor consolação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13





Comentários recentes