Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

24 Jun, 2010

S. Mamede

Quadro de Acácio Lino.Sala Acácio Lino, Assembleia da República

 

 

S. Mamede não deve dizer muito, não deve dizer mesmo nada aos nossos jovens, que têm no seu currículo muitos anos de escolaridade, mas escassos conhecimentos.

Para aqueles, que como eu frequentaram as diabolizadas escolas do salazarismo, onde mau grado todos os seus defeitos ainda se trabalhava e se aprendia, S. Mamede era uma etapa reconhecida na formação de Portugal.

A batalha deu-se há 882 anos, no dia 24 de Junho de 1128. D. Afonso Henriques gerado e parido mas não criado por D. Teresa, opôs-se ao governo da sua mãe biológica e dos seus apoiantes, pois isso punha em causa a autonomia do Condado. Com o apoio dos infanções de Entre Douro e Minho, afastou D. Teresa e deu início à emancipação política que levaria à independência do Condado Portucalense. S. Mamede foi apenas o início de um processo longo e difícil travado no plano militar e no plano diplomático, que simboliza a união de vontades sobre o rumo a seguir naquelas terras de ribadouro. 

Em S. Mamede traçou-se a sangue um destino, inventou-se um país improvável, germinou-se uma nação imortal . Esta lição  de união e de determinação tem de ser preservada e por isso aqui a recordo. Uma nação valente tem passado e tem presente para poder ter futuro. Ao nobre povo que a construíu um permanente obrigado.

MG  

 

PS: Como curiosidade transcrevo este excerto da Infopédia " As tropas do infante e dos barões portucalenses enfrentaram as de Fernão Peres de Trava e dos seus partidários portugueses e fidalgos galegos no dia de S. João Baptista do já referido ano de 1128. A vitória foi para D. Afonso Henriques. O cronista do mosteiro de Santa Cruz aproveitou a coincidência da data da batalha com a festa religiosa para exaltar o acontecimento, conseguindo colocá-lo ao nível das intervenções divinas. S. João Baptista tinha sido o anunciador de Jesus Cristo pelo facto de a batalha se ter dado na data em que se venera esse santo e a vitória ter sorrido a D. Afonso Henriques. Tal facto é, para o cronista, prova de que o infante era, também ele, o anunciador do aparecimento de um novo reinado."

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.