Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

Nação valente, ao sul

Odeleite Cabeça do dragão azul

18 Abr, 2012

E o presente?

sempre o Futuro, Sempre! e o Presente

 

 

Sempre o futuro, sempre! e o presente
Nunca! Que seja esta hora em que se existe
De incerteza e de dor sempre a mais triste,
E só farte o desejo um bem ausente!

Ai! que importa o futuro, se inclemente
Essa hora, em que a esperança nos consiste,
Chega... é presente... e só á dor assiste?...
Assim, qual é a esperança que não mente?


Desventura ou delirio?... O que procuro,
Se me foge, é miragem enganosa,
Se me espera, peor, espectro impuro..

Assim a vida passa vagarosa:
O presente, a aspirar sempre ao futuro:
O futuro, uma sombra mentirosa. 

Antero de Quental, in 'Sonetos'

 

A minha homenagem ao idealista, ao cidadão interventivo, ao grande mestre da poesia.

 

 

Assim a vida passa vagarosa

Sempre à espera da vida que virá

prisioneira  da justiça que será:

uma realidade esplendorosa!

 

O presente a aspirar sempre ao futuro

refém de um passado sem saída,

vencido pelo fado e pela vida:

Só no sonho se sonha um mundo puro.

 

O futuro uma sombra mentirosa

na visão esclarecida de Quental

vertida em densa poesia e dura prosa.

 

E se a verdade é  o presente desigual

e o  passado uma via dolorosa

só no sonho se sonha o ideal!

 

MG