Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Ametista

    Escapou-me dizer o quanto gostei do poema. Ternure...

  • Ametista

    Também tive muito gosto em visitá-lo... mas sabe q...

  • Naçao Valente

    Muito Obrigado. Desejo-lhe, em dobro, triplo...tud...

  • Ametista

    Passei para lhe deixar um abraço e o desejo de um ...

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...





Romeu e Julieta Happy end 4

por Naçao Valente, em 07.08.16

 

 

No episódio anterior Romeu com o objectivo de se preparar para conquistar a sua amada, resolveu começar a fazer a sua iniciação sexual com uma boneca insuflável. A experiência não correu bem...

 

O inspector Marco Shakespeare estava a dormitar no seu banho diário com sais relaxantes , prática que herdara da costela inglesa da mãe,quando o telefone tocou

-Estou…

-Desculpe inspector, fala do piquete nocturno…surgiu uma situação urgente. Um indivíduo identificado ligou-nos e diz que está a assistir do seu apartamento ao assassinato de uma mulher nua. Podemos estar perante o “enguia” o procurado raptor de prostitutas…

- Foda-se agente Damião…tira-me da minha sessão zen por causa de um telefonema…acha que o “enguia “ se punha a jeito de ser apanhado…

-Inspector sigo as suas instruções: nunca se menospreza uma pista por mais irrelevante que pareça.

-Ok. Prepare uma equipa para actuar de imediato.

Quando acabou de devolver a peça de latex à sua embalagem, a campainha do T0 de Romeu tocou freneticamente. Enfiou a pequena embalagem no fundo do roupeiro e foi abrir a porta. Um latagão de um metro e noventa apontou-lhe uma arma: “Levanta os braços e mantem-te quieto. Pode entrar inspector, o suspeito está controlado” Romeu emudeceu. Uma fraca figura embrulhada num sobretudo de tweed verde e com um crachá na mão esquerda disse: “onde está o corpo da mulher assassinada?”. “Mulher, qual mulher”, conseguiu balbuciar Romeu em pânico:”deve haver algum engano” . Qual engano, qual carapuça, recebemos uma denúncia de um vizinho…Agente Damião faça uma busca ao apartamento", disse o inspector , acenando o crachá.

O agente Damião, de alcunha o Buldozer revirou tudo. “Não encontrei nenhum corpo, nem qualquer vestígio de crime, inspector”. “Era o que eu pensava. Deve ser fantasia de algum lunático paranóico”, afirmou Shakespeare procurando eclipsar-se dentro do sobretudo , apertando violentamente o crachá. “As nossas desculpas senhor? …Romeu, conseguiu balbuciar o suspeito, recuperando a voz”.

Ao sair do apartamento o inspector dirigiu o foco de uns olhos verdes pequeninos para o Buldozer e sentenciou: “nunca se esqueça Damião uma pista, mesmo absurda é sempre uma pista. Um indício é sempre um indício. O homem está todos esgadanhado. Vamos mantê-lo debaixo de olho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48





Comentários recentes

  • Ametista

    Escapou-me dizer o quanto gostei do poema. Ternure...

  • Ametista

    Também tive muito gosto em visitá-lo... mas sabe q...

  • Naçao Valente

    Muito Obrigado. Desejo-lhe, em dobro, triplo...tud...

  • Ametista

    Passei para lhe deixar um abraço e o desejo de um ...

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...