Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds



Dá-me a tua mão e vamos passear

por Naçao Valente, em 26.02.16

A campainha soou estridente (1)

trriiiiiiiim

Os professores interromperam as suas conversas de intervalo, de ocasião e de coisas banais: saúde dos filhos, custo de vida, natureza dos alunos, os mais atrevidos ousavam questões mais pessoais, as promoções, as barrelas, os cônjuges, assuntos de lençóis...

era dia de S. Valentim

Os alunos abandonaram o recreio afogueados nas brincadeiras da sua faixa etária, de uma dúzia de anos. Uma última corrida sem regras até à sala de aula. Uma algazarra que ensurdece.

apenas mais um dia

A professora avançou quando o caminho já estava limpo. Arrastou-se nos seus quarenta para mais uma aventura. Muitos a veem, poucos a ouvem. O recreio tende a prolongar-se na sala.

difícil é calá-los.

Vira-te para a frente;toma atenção, está calado; vai para o GAD fazer os exercícios da pagina x. A professora pára de escrever no quadro, logaritmos, ou frases passivas ou... e olha o grupo a tempo de ver voar um avião de papel, que consegue  evitar que aterre no aeroporto de destino.

leva-me contigo a ver os aviões..

Desmonta-o.O avião é agora uma folha garatujada. Começa a ler: Julieta Vanessa, olá , eu sou o Romeu,

eu estava à toa na vida(2)

"Quando olhei para ti pensei: ora aqui está mais uma miúda banal, tão banal que até enjoa. Digo-te com verdade, enganei-me. Vi-te e tive uma estranha sensação. Foi como se tivesse um anjo da guarda naquela sala, que me protegesse de tudo, stôra e suas ameaças, incluídas. Foi amor ao primeiro olhar. Acredita.

o meu amor me chamou

Falo-te do teus olhos, mais brilhantes que o sol, gosto bué, aprecio os  teus cabelos, super giros,  mais brilhantes que os da Cinderela, e do teu corpinho, bem, que posso dizer(?) digo que é melhor que o da Shakira. Olha,amo-te tanto, mas tanto, que nem podes imaginar, conheço-te e dou-te tanto carinho e ""compro-te coisas mais giras do que tu queres"".De ti só quero uma coisa especial. Sabes qual é? És tu. Ao meu melhor amigo dou o meu carro, a minha casa... mas a ti dou-te a minha vida.

pra ver a banda passar...

Estava só, desde há 3 anos, mas agora encontrei-te. Sei que posso confiar em ti. Mostra essa confiança, dá-me a tua mão e vamos passear, tu podes ser pequena mas és mesmo muito grande no meu coração por isso quando alguém te chatear lembra-te disto...e podes confiar em mim.I love You."

cantando coisas de amor

Ass  Romeu Silva

A professora em construção afivelou a máscara mas sorriu para dentro. Manteve a compostura. Num momento fugiram-lhe os pensamentos, para outro tempo, para outros horizontes, outros "valentins", sonhos idos, mas depressa despertou,

triiiiiiim

Na saída tumultuosa os corações batem apressados. O cupido falha a pontaria por causa da má da fita. Romeu e Julieta não foram passear, mas não faltarão oportunidades. Nada pode travar um amor, protegido por S. Valentim.

 

MG

 

1-crónica baseada num texto escrito por um aluno do 2ºciclo do ensino Básico.

2-excertos de uma canção de Chico Buarque

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da politiquice e outras rangelices

por Naçao Valente, em 24.02.16

Senhor deputado Rangel,

Vossa Excelência tem todo o direito de opinar como entender, mas há uma coisa que me intriga: Vossa Excelência está no PE para defender Portugal ou para defender a PAF? É que a PAF já era e Portugal ainda é. Consta que Vossa Excelência ficou muito ofendido com as críticas que o primeiro-ministro de Portugal lhe fez, pelo seu comportamento no PE. São críticas legítimas e que não põem em causa, nem a sua honra, nem a sua liberdade. Mas o que o senhor fez  ,a ser levado a sério, prejudicaria o país onde nasceu. Procurar descredibilizar o Orçamento de Portugal, apenas com a intenção de este ser rejeitado, para que o seu partido pudesse tirar dividendos políticos imediatos, revela uma mesquinhez inaceitável. Vossa Excelência envergonha a política enquanto exercício nobre. O que o senhor faz é mera politiquice. Mais importante que o quadrante partidário em que se insere é o interesse nacional, e o senhor deputado esteve e está-se borrifando para o país que o viu nascer. O que vale, como diz o ditado, é que há vozes, que mesmo parecendo humanas, não chegam ao céu.

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Passos rastejantes

por Naçao Valente, em 22.02.16

Ajoelhou tem que rezar.Diz o senhor dos Passos Coelho que o Governo de Portugal ajoelhou em Bruxelas, perante a Comissão Europeia. O homem passou-se ou pensa que somos todos tolos. O senhor agora deputado anda perdido nos seus próprios passos. Então depois de ter andado quatro anos a rastejar, como réptil, junto aos pés de Schauble e seus muchachos, tem agora a supinpa lata, de acusar o actual governo, de ter ajoelhado? Quem nasce para rastejar nunca chega a ajoelhar.

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Preservativos e bom senso

por Naçao Valente, em 19.02.16

O preservativo é um método contraceptivo simples e barato. Sem efeitos secundários é comummente aceite pela sociedade. A contracepção faz parte da da vida da humanidade desde tempos imemoriais.Na actualidade contemporânea, a contracepção é utilizada pelos casais como forma de planificaram a sua natalidade, de acordo com disponibilidades profissionais e a situaçao económica. E é transversal a opções de cariz religioso. Portanto, não faz sentido o posição da igreja católica de oposição à contracepção, especificamente à utilização do preservativo. Acresce que este exerce ainda funções de protecção contra determinadas infecções. A abertura, ainda que limitada, a esse dogmatismo religioso, feito pelo Papa Francisco, representa um acto de lucidez, bom senso e pragmatismo, digno de louvor. A igreja tem de ter a coragem se adaptar permanentemente à evolução da sociedade, para poder transmitir a sua mensagem com credibilidade. Convém lembrar que foi com atitudes de ruptura em relação ao conservadorismo, que o  cristianismo se impôs. 

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Realidade Paralela

por Naçao Valente, em 17.02.16

,Um deputado da Nação que apenas se distingue dos demais por usar PIN na lapela, foi convidado para inaugurar um centro escolar em Lordelo, que por casualidade está a funcionar desde 2013. Mas está tudo de pantanas? A haver inauguração, não cabia esta, do ponto de vista institucional, a um membro da actual governação, nomeadamente da área da educação? Por que raio foi convidado um deputado da oposição? Em que mundo vivemos? Possivelmente em dois. No real, com um governo com suporte parlamentar e num outro que deve pertencer a uma realidade paralela, onde  existe um chefe de governo, sem governo, paralelo. Resta saber quem financia este centro escolar que, pelos vistos,  faz parte da República Paralela de Portugal.

MG  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Namorar: a gabardina e outras técnicas

por Naçao Valente, em 14.02.16

g.jpg

 

em "roupas femininas loja"

 

Sala de professores de uma escola. Intervalo. Os professores chegam das aulas onde acumulam imenso stress. É altura de deixar sair a pressão. As conversas tendem a pender para o chinelo. Manda-se às malvas o racionalismo, o pensamento estruturado, o rigor da análise, a crítica política. Mesmo a terapia sobre a indisciplina, o significado de respeito, a ideia de educação reserva-se para reuniões institucionais. O que predomina nas no bate papo são as emoções feitas banalidades do quotidiano: amores, humores, sexo, aventuras e outras coisas boas da vida.

 

Dia dos namorados. O assunto está na ordem do dia. As mulheres em grande maioria enredam-se em considerações sobre a sua condição de namoradas. Trintonas quarentonas e cinquentonas discutem qual a lingerie mais adequada para esse dia. Há quem se lembre dos sutians que reagem a estímulos externos da pessoa amada. Uma dama das mais bem informadas disse que a nova tecnologia estava nos seus planos, mas fora do alcance da sua bolsa. Contudo, já tinha preparado uma alternativa. Usando a sua capacidade criativa ia colocar por cima de uma lingerie sexy apenas uma gabardine. Logo aí outra namoradinha contestou o êxito da técnica no seu caso pessoal, pois tendo em consideração que o seu marido estava muito entrosado com a arte de bem beber, teria que se disfarçar de garrafa. Uma outra dama, discreta, tímida, silenciosa e que parecia pouco à vontade, pediu licença para dar opinião acrescentando: "conserva essa ideia da garrafa...quem sabe se ele não resolve usar o saca-rolhas? Ipsis verbi. Gargalhada. Corou! O que foi que eu disse? Campainha. Dispersão. Salva pelo gong. Nova corrida, o dia dos namorados pode esperar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Deixe Portugal em paz, Herr Schauble

por Naçao Valente, em 14.02.16

: «Wolfgang Schäuble, Ministro das Finanças alemão, acaba de fazer uma advertência/ameaça/chantagem a Portugal, indicando que ‘perturbar os mercados não é o melhor caminho’.

Schäuble, que em 1990 foi vítima de um desequilibrado que o condenou para sempre a uma cadeira de rodas, é um dos políticos no activo mais antigos da Europa, e um dos responsáveis pela desastrosa condução económica feita a partir de Bruxelas.

Pode-se entender que este homem, amante da mais absoluta austeridade, e cronicamente amargo desde que, em 2000, teve de se demitir do ministério pela sua responsabilidade no financiamento ilegal do seu partido, a CDU, odeie agora os portugueses.

Este homem detesta que os portugueses perturbem os mercados desde o século XIII, detesta que os portugueses comam, bebam, fodam, leiam, cantem e sejam um país soberano.

Deixe Portugal em paz, Herr Schäuble!»

 

 

Mensagem do escritor LuísSepúlveda

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem quer namorar com o Carochinho?

por Naçao Valente, em 13.02.16

Dia dos namorados tira-me do sério. Descrimina. Mas como não tenho sangue de barata, fiz-me à vida e resolvi procurar uma namorada. Como o tempo é curto lembrei-me da história da Carochinha. Coloquei-me, estrategicamente, numa janela e lancei o meus slogan: quem quer casar com o Carochinho que é charmoso e está sozinho.

Esperei, esperei e nem vivalma. Nem burra, nem vaca, nem cabra, nem gata, nem macaca, nem rata, nem brasileira né(?).Mas que se passa? Será que já não há almas namoradeiras? Tem que haver. Matutei, matutei e quando esta cabeça conjuga o verbo matutar, matuta mesmo. Se não passam debaixo da minha janela devem estar todas esparramadas nas redes sociais. Só pode. Tenho de mudar para essa janela e depressa.

Lá está. No"face" não faltam faces lindas. Mas quem vê caras não vê corações apaixonados. Nem se sabe o tom da sua voz, se acordam as criancinhas, a melhor coisa do mundo, com o seu ressonar.Nem tudo é perfeito, é o que é, ponto. Como não tenho alternativa, arrisco: donzelas, senhoritas, senhorinas, Vintages, trintonas, quarentonas...casadas, mas pouco, desquitadas, viúvas de sentimentos... quem quer namorar, numa onda gravitacional, com um Carochinho, um planeta cadente à procura da sua estrela bué carente. Ainda não ganhei o euromilhões, mas já recebi uns trocos da reposição salarial. Decerto não dá dar ter uma lua satélite, mas prometo  um encontro imediato de terceiro grau antes  de cair no caldeirão da impotência. 

Aceito todas as candidaturas, com excepção das que fogem à regra. Entre outras, e porque não quero cair num buraco negro rejeito caronas, tipo Maria Cavaca, gémeas de nariz empinado como as irmãs Mortágua, garotas que já sofreram muitos golos, tipo Irina.  O caso é sério. Que S. Valentim vos inspire.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Buracos negros

por Naçao Valente, em 12.02.16

Há cem anos Einstein falou de ondas gravitacionais como componente da teoria da relatividade. Hoje foi possível comprovar a sua existência. Einstein nasceu na Alemanha tal como o senhor Schbleau. É a única coisa que têm em comum. Um veio para esclarecer o outro para confundir. Quando Einstein apresentou a sua teoria ainda a alma mater da teoria da austeridade não tinha nascido. Mas nasceu para mal dos nossos pecados.E nasceu cresceu e transformou-se num buraco negro. Schauble atrai outros buracos negros que gravitam à sua volta como formigas obreiras. Quando estes buracos se juntam provocam ondas gravitacionais que, sinuosamente, interferem no nosso espaço tempo,perturbando o nosso campo gravitacional. Somos presa dessas ondas emitidas pelo buraco schauble, onde se acolhem os mercados, cujas ondas estão sempre disponíveis para nos ameaçar com a escuridão eterna. Mas o universo é uma realidade dinâmica onde interagem forças que nascem morrem e voltam a renascer. Temos de ter consciência que os buracos negros são nessa dinâmica apenas um ínfima componente e que o buraco Schauble acabará por se consumir na sua própria voragem. Outras ondas virão para repor a dignidade que este buraco nos roubou.

MG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dar e tirar

por Naçao Valente, em 10.02.16

Os autores do colossal aumento de impostos de há quatro anos não têm memória. Ignorando o  processo que retirou rendimentos directamente aos trabalhadores, surgem agora como críticos da aplicação de alguns impostos indirectos, que o actual governo teve de aplicar depois da pressão de Bruxelas, como moeda de troca para aceitar o Orçamento do Estado. Mas a maior manifestação da falta de vergonha, prende-se com a tentativa repllicada pelos seus pontas de lança na comunicação, de que estes impostos indirectos e diversificados, são da mesma natureza e ainda maiores que aqueles com que sobrecarregaram os cidadãos.

Contra a demagogia e a mentira convém lembrar que o aumento do IRS de Vítor Gaspar correspondeu a um saque de 3 mil milhões aos trabalhadores. Ao invés, a diminuição da sobretaxa decidida por este Governo deixa nos bolsos dos contribuintes 430 milhões. Com rigor, com excepçãodo  ISP, os outros impostos são na sua totalidade inferiores à devolução da sobretaxa, e incidem sobre consumos específicos: tabaco, bebidas alcoólicas, compra de carros novos e o crédito ao consumo.

A ideia que a direita pretende passar, a partir de uma abordagem irreal, de que o Governo dá com uma mão e tira com a outra é um enorme embuste. O que acontece é que ao contrário do passado, houve a preocupação de devolver rendimentos a trabalhadores e de diversificar a carga fiscal. Como disse Mário Centeno entre "dar e tirar" e apenas tirar que foi o que fizeram os governantes de má memória, vai uma distância considerável.

MG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds