Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds



A máfia russa não brinca em serviço

por Naçao Valente, em 29.10.14

 

iimagem net

 

Nas televisões corre  a notícia "em última hora" que a força aérea portuguesa detectou e acompanhou a Oeste do Atlântico, dois caças russos (coisa nunca vista) que tiveram de retroceder. Não houve até ao momento qualquer justificação para a sua presença neste espaço aéreo. Eu, com todas as reservas que o melindre destes actos merece, avanço uma explicação: podemos estar a assistir a uma acção da máfia russa dos árbitros, contra o Sporting Clube de Portugal, por causa do protesto contra a arbitragem do jogo com o Schalk 04. Talvez o  objectivo da missão fosse bombardear o estado, perdão o estádio de Alvalade. Ainda bem que estávamos atentos. Mas cuidado é preciso manter a vigilância. A máfia russa não brinca em serviço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O não-governo

por Naçao Valente, em 29.10.14

 O governo de Portugal faz lembrar o ministro da Comunicação do Iraque durante a invasão dos EUA. Com o regime derrotado teimava em mostrar que era vitorioso. Passos Coelho desempenha na perfeição esse papel. Terá noção do ridículo ou terá perdido a noção da realidade? Todos já perceberam que o seu governo é um náufrago à deriva procurando agarrar-se aos seus próprios destroços. Contudo, no seu reino de ilusão, lança reformas que não conseguiu fazer, promete mudanças que nunca quis executar, canta amanhãs de bem-estar que sempre ignorou. Incompetência, má fé, destruição, subserviência europeia é o seu legado. Arrogância ignara e convencimento ignorante eis a sua mensagem. Não percebeu que governando já não governa. Não entendeu que o país o rejeitou. Mais do que revolta e indignação merece pena. E se ainda se arrasta qual fantasma com grilhões nos pés, é  porque, em Belém, tem a bóia de salvação que o mantém à tona artificialmente. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Conflito de gerações

por Naçao Valente, em 25.10.14

FALANDO SOBRE CONFLITOS DE GERAÇÕES, O MÉDICO INGLÊS RONALD GIBSON COMEÇOU UMA CONFERÊNCIA CITANDO QUATRO FRASES:

 

1. "A nossa juventude adora o luxo, é mal-educada, despreza a autoridade e não tem o menor respeito pelos mais velhos. Os nossos filhos hoje são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra, respondem aos pais e são simplesmente maus."

2. "Não tenho mais nenhuma esperança no futuro do nosso país se a juventude de hoje tomar o poder amanhã, porque esta juventude é insuportável, desenfreada, simplesmente horrível."

3. "O nosso mundo atingiu o seu ponto crítico. Os filhos não ouvem mais os pais. O fim do mundo não pode estar muito longe."

4. "Esta juventude está estragada até ao fundo do coração. Os jovens são maus e preguiçosos. Eles nunca serão como a juventude de antigamente... A juventude de hoje não será capaz de manter a nossa cultura."

Após ter lido as quatro citações, ficou muito satisfeito com a aprovação que os espectadores davam às frases.

Então, revelou a origem delas:

- a primeira é de Sócrates (470-399 a.C.)

- a segunda é de Hesíodo (720 a.C.)

- a terceira é de um sacerdote do ano 2000 a.C.

- a quarta estava escrita em um vaso de argila descoberto nas ruínas da Babilonia e tem mais de 4000 anos de existência.


Fantástico!! Não mudou nada!!

 

Copiado do site Escritartes, com a devida vénia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ser poema

por Naçao Valente, em 24.10.14

Quando o sol despertava

Corria pelos trigais e,

Como um espantalho andante

Punha em stress os pardais.

Gostava de ser poeta

Mas um poeta não sou

Não é poeta quem quer

Mas quem expressa a emoção

Numa taça de saber.

Enquanto reinava o dia e,

Douravam os trigais

Eu sentia poesia

Nos trinados dos pardais.

Se nas estrelas navegasse

Em caravelas deluz e,

Em metáforas me afogasse

Punha em versos decassílabos

A métrica dos trigais.

E quando o sol cansado

De tanta seara amar

Se fazia escuridão

As aves com seu trinado

Paravam de clilrear

Sem saber bem a razão e,

Como não sou poema

Poema não é quem quer

Vou encerrar este tema e,

ver searas crescer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A troika russa não deixou o meu Sporting ganhar

por Naçao Valente, em 21.10.14

O meu Sporting foi, escandalosamente, esbulhado, pela equipa de arbitragem no jogo com o Schalke 04. Independentemente da imprudência de Maurício houve exagero na amostragem de amarelos, reduzindo uma equipa a dez no princípio do jogo. Interrogo-me se o Sporting já não estivesse a ganhar, as decisões teriam sido as mesmas. Mas a influência desta equipa russa não fica por aqui. Deixou passar um fora de jogo que deu golo aos alemães. A vergonha sem limites teria o seu cúmulo no último minuto do prolongamento, quando o jogo estava empatado, depois de uma recuperação inesperada do Sporting. Com esta arbitragem, o meu Sporting nunca ganharia. Mas no jogo real ganhou. Marcou três golos limpos contra dois do adversário, que jogou com quinze jogadores.

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Marretas e seus anões contra o Sporting

por Naçao Valente, em 20.10.14

Dois marretas e a sua corte de anões uniram-se, contra-natura, para marginalizar o meu Sporting. Ao aliciar um sportinguista para presidente da Liga, depois de um outro, também sportinguista, ter recusado, demonstraram que este Sporting os assusta. Esta fuga para a frente comprova que estão apenas interessados em manter o sistema que governa o futebol português há décadas. Esta santa aliança, de ocasião, prova, que não estão interessados em moralizar o futebol nacional.

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

O meu Sporting ganhou sem espinhas

por Naçao Valente, em 19.10.14

Marques Lopes é um comentador eclético. Sabe de tudo e fala de tudo. Nas tevês fala de política e de futebol com a mesma assertividade. Na sua coluna do Jornal a Bola, tem vindo a insistir na teoria de que o Porto ganhará sempre ao Sporting, porque é melhor. Depois do que se passou em Alvalade, insistiu na mesma receita. Há gente que gosta de viver num universo paralelo.

Jorge Jesus, o treinador, justifica a sua aversão à utilização de jogadores portugueses, na sua equipa, com o argumento que sem estrangeiros, o futebol português era pobrezinho. Nas Antas estiveram sete jogadores portugueses em campo, todos do Sporting, contra onze estrangeiros na equipa adversária. O meu Sporting ganhou sem espinhas, porque foi melhor. Ponto. Há treinadores que teimam em confundir a sua realidade com a realidade real.

O meu Sporting, mau grado o investimento, é melhor que o Porto, porque joga como equipa, joga com alma e com força mental. E o facto de valorizar os jogadores portugueses também contribui para esse desiderato. A cegueira mental é apanágio dos cegos que se recusam a ver.

MG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A tourada continua

por Naçao Valente, em 17.10.14

Não importa sol ou sombra

camarotes ou barreiras

toureamos ombro a ombro

as feras

 

Ary  dos Santos

 

 

Fomos levados ao engano

por capote de um cigano

com promessas do camano

beras

 

Entram moços jotas e comentadores

de falinhas mansas

entram verborreias de falsos doutores

de rotundas panças

entram peões de mentiras e rumores

cuja profissão

se lança

 

Com verónicas de medo

para nos empobrecer

puseram este país

a morrer

 

Temos que enfrentar o bicho

com coragem e sageza

pra atiramos para o lixo

a tristeza.

 

 

Entram boys a fazer campanha

que não sabem nada

gritam slogans cheios de manha

que não valem nada

pintam tudo de uma cor bem neutra

cuja autenticidade

é peta

 

Entram  velhos tontos e oportunistas

e entram paspalhões

entram charlatães, novos vigaristas

e entram os pavões

Entram galinhas de pequena crista

entram os ladrões

à vista

 

Entram sempre  as mesmas quadrilhas

fazem a faena´

entram  coloridas muitas bandarilhas

grandes e pequenas

Entra  o povo manso preso em armadilhas

que enche a arena

que pena

 

Entram as promessas de alguns tostões

e passes de peito

entram as orelhas com as eleições

dadas a preceito

entram as sortes de muitos capotes

passes de muleta

ministros, gestores, ilusões

da treta

 

Entram privatizações,fiscos e falências

charters de chineses

entra a loucura e a incompetência

tantas vezes

entra o orçamento , e a desfaçatez

a mal ou a mal

e grita a estupidez

acabou-se  Portugal

 

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Orçamento bi-anual

por Naçao Valente, em 16.10.14

A melhor prova de que o governo do PSD/CDS não é sério, nem pode ser levado a sério é a proposta de Orçamento para 2015. Este OE desmente o princípio "que se lixem as eleições" e enquadra-se no objectivo "que se lixe o país".

Não é sério crer fazer passar a ideia que o OE beneficia os cidadãos, com uma uma eventual diminuição de impostos. Não se pode levar a sério que os contribuintes serão, possivelmente, ressarcidos da manutenção da sobretaxa lá para 2016. Acontece que neste ano haverá um novo governo que não será o desta maioria, a não ser que o país tenha ensandecido de vez.

Assim, esta estratégia de empurrar para frente as benesses eleitorais é uma espécie da técnica da cenoura. E mostra à saciedade que para esta gente vale tudo para continuar no pote. Mesmo que esse apego ao pote signifique continuar a lixar o país.

 

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

O discurso dos filhos da puta

por Naçao Valente, em 14.10.14

lábios de mosto
meu corpo lindo
meu fogo posto.
Eira de milho
luar de Agosto
quem faz um filho
fá-lo por gosto.

 

Ary escreveu, Simone popularizou nos anos setenta a Desfolhada. Quem faz um filho fá-lo por gosto é uma expressão dúbia: faz-se o filho porque se gosta de o ter ou faz-se pelo gosto de o fazer? Seja o que for, o certo é que uma vez feito num acto dual, a mãe assume um papel preponderante. Acolhe-e durante nove meses, sofre a dor de o parir e amamenta-o mais alguns. Pode haver pais incógnitos, mas muito dificilmente haverá  mães incógnitas. Todos somos filhos da mãe. Contudo e a acreditar na vox populi há também o filho da puta. Epiteto depreciativo a um dado fulano pelo seu carácter mas que remete para a condição de quem o pariu. Ou uma trabalhadora do sexo, profissão marginalizada ou alguém que deu umas facadinhas do matrimónio, comportamento muito criticado pela mentalidade social. Para mais quando assim é ainda suporta o título de filho de um cabrão. Não pode vir daí tal sacripanta.

 

O verdadeiro filho da puta não depende da mãe que o pôs no mundo. Quem é a mãe que, regra geral, não se esforça por dar bons princípios ao filho? Quem é a mãe independentemente da sua condição que não ama sempre o filho incondicionalmente?  Seja a mãe uma pura donzela ou uma  mulher considerada tecnicamente puta, não há confirmação científica de quem pariu o verdadeiro filho da puta. O verdadeiro filho da puta é um self made man.Faz-se a si próprio. Vive para enganar, explorar, espezinhar o outro. Está-se lixando para quem passa fome. Não tem problemas de consciência por que não tem consciência.

 

Tomemos alguns exemplos em português suave. Sem personalizar, quando um político nos diz com falinhas mansas, numa verborreia demagógica, o contrário do que está a fazer, que é comer-nos as papas na cabeça, há alguma dúvida de quem é o alarve? Não estamos perante um autêntico filho da puta? Sem fulanizar, se um detentor de cargo institucional, nos anda a mostrar a dentadura enquanto nos fode a vida, como verdadeiro gigolô, o que é? Se comentadores e certos bloguistas batem com a mão no peito, aqui d'el rei que as medidas de austeridade são do piorio mas não temos alternativa o que são? Tanto mais que geralmente a austeridade não bate à sua porta! Sem nomear, se um dado empresário diz "estamos endividados e falidos" enquanto coloca a sede das suas empresas fora do país, sonegando impostos ao Estado é filho de quem?

 

O problema é que o verdadeiro filho da puta usa auréola de cidadão impoluto.O problema é que debaixo da pele de cordeiro come as avozinhas, enganas as netas e vai fodendo o país. O problema é que há quem goste. Enquanto assim for não nos livramos do reino dos filhos da puta

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds