Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds



Vacas magras

por Naçao Valente, em 30.06.10

Imagem 400 × 317 - 28k - jpg - www.afugadocaracol.com/wp-content/uploads/200

Este país está endividado até às orelhas.A divida portuguesa corresponde a 108,9 do PIB. É certo que esta dívida está cobertas por ACTIVOS ( imóveis e equipamentos). Convém por isso desdramatizar estes números, embora não seja prudente continuar a deixa-la crescer indefinidamente.Mais grave são os valores do défice público que ultrapassa os 13,3 mil milhões de euros. No entanto, em Portugal ninguém quer pagar seja o que for. Nem a saúde , nem a educação e agora, pasme-se, nem as auto -estradas. Parece que vivemos num país rico, com recursos inesgotáveis.

 As auto-estradas, ditas SCUTS foram feitas com dinheiro privado e é preciso pagá-las. Quem paga a factura há muitos anos é o erário público, ou seja todos nós. Vivemos num país ou num manicómio? E à frente da demagogia, neste reino cadaveroso, encontram-se os autarcas, sempre ao lado das reivindicações dos seus munícipes por mais irrealistas ou disparatadas que sejam. Mas estes reis do regabofe são mais desonestos que loucos. Defendem o seu tacho, o seu cantinho e a sua possível reeleição. O resto que se lixe.

Deixo, aqui, uma modesta sugestão: Tornem-se todas as auto-estradas gratuitas para o utilizador e mande-se a factura para os endinheirados autarcas. Espero para ver a reacção!

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Parabéns à alegria

por Naçao Valente, em 28.06.10
Em 18 de Junho de 1926 nasceu em o cidadão Mel Brooks. Na tela exprimiu e compartilhou com o mundo  a sua esfusiante alegria . Mostrou-nos que a melhor maneira de exorcizarmos os nossos fantasmas é através do riso. Num mundo cheio de gente sisuda e convencida da sua importância, teve a arte de nos mostrar a relatividade das coisas e a nossa dimensão insignificante. Rir é o melhor remédio, mesmo que seja de nós próprios.
 Se ainda não conhece os seus filmes aproveite para os conhecer. Vale a pena. Se os conhece vale apena recordá-los. Em tempos de crise, vale a pena uma boa gargalhada. Aqui deixo um aperitivo e também a sua filmografia. Ao cineasta Mel BrooKs ou Melvin Kaminsky  Parabéns por mais um aniversário.
MG
Lista de Filmes do cineasta

 Prémios

  • Ganhou o Óscar de Melhor Argumento Original, por seu trabalho em "The Producers" (1968).
  • Recebeu uma nomeação ao Óscar, na categoria de Melhor Argumento Adaptado, por seu trabalho em "Young Frankenstein" (1974).
  • Recebeu uma nomeação ao Óscar, na categoria de Melhor Canção Original, pela canção "Blazing Saddles", de "Blazing saddles" (1974).
  • Recebeu duas nomeações ao Globo de Ouro, na categoria de Melhor Actor - Comédia/Musical, pelo desempenho em "Silent movie" (1976) e "High anxiety" (1977).
  • Recebeu uma nomeação ao Globo de Ouro, na categoria de Melhor Argumento, por "The Producers" (1968).
  • Recebeu uma nomeação ao BAFTA, na categoria de Melhor Argumento, por "Blazing saddles" (1974).
  • Mel Brooks é uma das poucas pessoas a receberem um Óscar(prêmio de cinema),um Grammy(prêmio de música),um Emmy(prêmio de TV) e um Tony(prêmio de teatro).Todos esses prêmios,os maiores em sua categoria:Cinema, Música, TV e Teatro

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maria da Fonte

por Naçao Valente, em 26.06.10

 

Rui Riu ameaçou o Governo e o país com uma espécie de Patuleia, revolta que aconteceu no século XIX, iniciada no Minho pelos patas ao leu, isto é gente sem acesso a esse luxo que são os sapatos. A diferença é que hoje os revoltados já não andam descalços e até andam excessivamente calçados em sapatos de quatro rodas. Anunciar uma revolta, pelos vistos armada (se calhar com as famosas armas desaparecidas em 75) num Estado de Direito, brada aos céus. Estranho é que os zeladores do Estado de Direito sempre super atentos em relação às diatribes do primeiro-ministro contra o dito Estado estejam quedos e mudos. Mas há outra coisa que o senhor Rio está a conseguir. Que as portagens contra as quais previu uma rebelião, venham a ser implementadas em zonas do país com níveis de desenvolvimento muito mais baixos. Por este Rio acima vai a nova liderança do PSD e assim quer governar Portugal. Não sei se propalada revolta já tem preparada a sua logística. Seja como for aqui deixo a minha modesta contribuição: um hino para dar ânimo aos explorados e ofendidos, brilhantemente criado e interpretado pelo grande Zeca, a quem aproveito para prestar a minha homenagem.

MG 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vencer

por Naçao Valente, em 25.06.10

 Imagemwww.zazzle.co.uk/joker_no_jogo_seleccao

 

O que é que distingue um vencedor de um perdedor? A vontade de vencer. Com que objectivo jogou Portugal contra a Coreia do Norte? Jogou para ganhar e ganhou com mérito e brilhantismo, mesmo tendo em conta as características do adversário. Como jogou contra a Costa de Marfim e contra o Brasil? Jogou para não perder e por isso não podia ganhar.

 

E contra a Espanha como será? Esta selecção tem potencial para ir longe se acreditar e quiser vencer. No futebol como na vida, só triunfa quem merece o triunfo. As meias tintas são o mundo dos falhados.

 

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

S. Mamede

por Naçao Valente, em 24.06.10

Quadro de Acácio Lino.Sala Acácio Lino, Assembleia da República

 

 

S. Mamede não deve dizer muito, não deve dizer mesmo nada aos nossos jovens, que têm no seu currículo muitos anos de escolaridade, mas escassos conhecimentos.

Para aqueles, que como eu frequentaram as diabolizadas escolas do salazarismo, onde mau grado todos os seus defeitos ainda se trabalhava e se aprendia, S. Mamede era uma etapa reconhecida na formação de Portugal.

A batalha deu-se há 882 anos, no dia 24 de Junho de 1128. D. Afonso Henriques gerado e parido mas não criado por D. Teresa, opôs-se ao governo da sua mãe biológica e dos seus apoiantes, pois isso punha em causa a autonomia do Condado. Com o apoio dos infanções de Entre Douro e Minho, afastou D. Teresa e deu início à emancipação política que levaria à independência do Condado Portucalense. S. Mamede foi apenas o início de um processo longo e difícil travado no plano militar e no plano diplomático, que simboliza a união de vontades sobre o rumo a seguir naquelas terras de ribadouro. 

Em S. Mamede traçou-se a sangue um destino, inventou-se um país improvável, germinou-se uma nação imortal . Esta lição  de união e de determinação tem de ser preservada e por isso aqui a recordo. Uma nação valente tem passado e tem presente para poder ter futuro. Ao nobre povo que a construíu um permanente obrigado.

MG  

 

PS: Como curiosidade transcrevo este excerto da Infopédia " As tropas do infante e dos barões portucalenses enfrentaram as de Fernão Peres de Trava e dos seus partidários portugueses e fidalgos galegos no dia de S. João Baptista do já referido ano de 1128. A vitória foi para D. Afonso Henriques. O cronista do mosteiro de Santa Cruz aproveitou a coincidência da data da batalha com a festa religiosa para exaltar o acontecimento, conseguindo colocá-lo ao nível das intervenções divinas. S. João Baptista tinha sido o anunciador de Jesus Cristo pelo facto de a batalha se ter dado na data em que se venera esse santo e a vitória ter sorrido a D. Afonso Henriques. Tal facto é, para o cronista, prova de que o infante era, também ele, o anunciador do aparecimento de um novo reinado."

Autoria e outros dados (tags, etc)

Portugal não é um país pequeno II

por Naçao Valente, em 23.06.10

 

Portugal tem na sua história uma galeria de grandes homens, alguns designados como heróis, mas a quem prefiro chamar de gente com grandeza de alma e rectidão de espírito.Homens generosos, homens tolerantes,homens verticais. Mas em  Portugal há , também, gente muito pequena ou melhor dizendo gentinha.

Vem isto a propósito de uma notícia publicada em todos os jornais (nalguns a grandeza anda pelas ruas da amargura) sobre o levantamento da impunidade ao Primeiro-ministro, para ser ouvido num tribunal, devido a estar acusado de difamação. E quem se queixa de ter sido difamado? Nem mais nem menos que os Moniz Moura Guedes. Este casal de stars, alimenta desde sempre um ódio pessoal ao cidadão Sócrates. E aproveitando-se dos palcos privilegiados que dominam, sempre os  têm utilizado, a seu bel-prazer, para o destruírem como pessoa e como político.Tem sido uma luta desleal e inadmissível, que colhe apoio nos sectores mais revanchistas, intolerantes e caceteiros da sociedade.

E que disse o Primeiro-ministro, usando a liberdade de expressão a a indignação a que tem direito como quaquer outro cidadão, incluindo os Moniz?  Que um dado Jornal da TVI não veiculava informação, mas existia para o insultar,(em episódios de novela ordinária, digo eu)  baseando-se em suposições e invenções não comprovadas. Para quem usa a liberdade  de informação desta forma e ainda se arroga o direito de se sentir ofendido, não respeitando a liberdade dos outros, o que se pode dizer?  A quem desce a este nível degradante de intriguismo o que se pode aconselhar? Talvez um curso de Atitudes e Valores ou o estudo  do comportamento dos homens grandes que fizeram Portugal.

MG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Portugal não é um país pequeno

por Naçao Valente, em 22.06.10

 

Assisti ontem na RTP1 a um interessante debate sobre a situação na União Europeia. Das opiniões manifestadas e sem menos consideração por nenhuma das outras, retenho uma frase de Mário Soares, com a qual concordo plenamente: "Portugal não é um país pequeno". Sempre o achei e já o tenho escrito muitas vezes

Portugal é a única parcela territorial da Ibéria que conseguiu resistir à hegemonia castelhana. Consegui-o em primeiro lugar porque teve vontade, em  segundo porque teve determinação, em terceiro ,porque resistiu, em quarto, vamos admiti-lo, porque tavez tenha tido a ajuda divina. Cresceu tanto  ou mais do que a imaginação permite. Cresceu por todos os continentes, enraizou-se em todas as latitudes.

Portugal não é um país pequeno, nunca foi um pais pequeno , nunca será um pais pequeno. O tamanho de um país não se mede só pelas circunstâncias de conjunturas transitórias, de flutuações económicas , de mercados desregulados, de lideranças fracas. O  tamanho de um país mede-se pelo tamanho da sua alma, pela identidade da sua cultura, pela sua coesão enquanto nação. As conjunturas passam, os modismos ideológicos envelhecem, a anarquia financeira esfuma-se, mas as nações autenticas permanecem.

Na Europa Portugal foi pioneiro na universalidade, na Europa Portugal é ponte entre povos e culturas, na Europa Portugal contribuirá para a sua viabilidade e coesão. Este país compreende , mais do que qualquer outro, o valor do humanismo que está na génese da sociedade europeia e está em condições  de contribuir para o seu aperfeiçoamento. A Europa já teve o seu calvário, desceu às profundezas do inferno, está agora no purgatório, mas poderá chegar um dia ao paraíso. Mas precisa de contar com a sabedoria, a experiência e sobretudo a crença dessa grande nação universal que se chama Portugal. 

MG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

os trabalhos e os dias

por Naçao Valente, em 21.06.10

 

 

Em jornalismofc.com/page/20/?archives-list=1

 

Aqui escrevo todos os dias sobre as mais variados assuntos. Aqui manifesto, opiniões, convicções... E sem qualquer pretensiosismo ou falsa modéstia acho que apresento ideias interessantes, abordagens pertinentes, embora contestáveis, que não tem sido devidamente apreciadas. Não pelos poucos visitantes habituais, mas pelos "papas" da avaliação que pululam por aí, ou porque não as lêem, ou porque as desconhecem ou porque não têm tempo para banalidades. Como dizia Eça de Queirós, pela boca de um personagem do romance "A Capital" que não via reconhecida a sua poesia: "pérolas a porcos".

 

Mas isto não passa de um desabafo em "dia não" apesar da vitória retumbante da selecção. Amanhã, volto às minhas análises, com a mesma singeleza e despreocupação. Amanhã  estou, como sempre, a exercer o prazer de reflectir e o prazer de escrever, pelo prazer de reflectir e pelo prazer de escrever. Amanhã volto a estar indiferente a avaliações mais ou menos  subjectivas. Amanhã volta a ser "dia sim" e volto a ser o " tipo" que partiu do nada para chegar a coisa nenhuma.

MG  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Princípio de Peter

por Naçao Valente, em 19.06.10

 

Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência." (no original, em língua inglesa, "In a hierarchy, every employee tends to rise to his level of incompetence"). Princípio de Peter

 

Currículo de Carlos Queiroz

 

Em 1987 integrou os quadros da Federação Portuguesa de Futebol, para treinar as camadas jovens.

 

Ganhou os títulos mundiais de juniores em 1989 e 1991

 

1994, como treinador da selecção principal de Portugal, falhou a qualificação para o Campeonato do Mundo,

 

1994/1996 treinou o Sporting Clube de Portugal,

 

2000/2002, treinou a África do Sul,

 

2003, foi contratado para treinador principal do Real Madrid,

 

No Manchester United foi adjunto de Alex Ferguson .

 

Será que  Carlos Queiroz, sem nada de relevante a assinalar na sua carreira de treinador de seniores, atingiu o" nivel de incompetência"  de acordo com o principio de Peter?

 

MG

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A viagem do elefante

por Naçao Valente, em 18.06.10

Imagem NunoAnjosPereira,s

José Saramago é e será um grande escritor. Revolucionou a arte da escrita, criou um estilo, ganhou a imortalidade. Deixou uma vasta obra literária prenhe de imaginação, oportunidade e inovação. Acabou uma longa e difícil viagem que fez com a paciência de um elefante e partiu para outra mais longa e mais desconhecida

 

José Saramago foi um homem polémico. Iconoclasta e ateu (?) criou a sua visão pessoal do mundo e defendeu-a até ao absurdo. Com virtudes, defeitos, fragilidades, deixou no livro da vida uma marca indelével.

 

José Saramago foi um homem de convicções.  Político interventivo e determinado, manteve durante toda a sua existência física uma coerência louvável. Acreditou em valores, defendeu utopias, sonhou com amanhãs que cantam.

 

José Saramago amou o seu país com espírito crítico e projectou o nome de Portugal no mundo inteiro. A sua obra não se pode dissociar do homem que foi e daquilo em que acreditava. Por isso reflecte, apenas, uma entre muitas formas de ficcionar a realidade .No meu blog "D. Quixote moinho de letras",  pode-se ler um conto intitulado "Baldazar e Bela Muda", onde procurei prestar uma modesta e singela homenagem ao homem e ao escritor , com quem aprendi a melhorar a arte de bem escrever.

MG

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3





Comentários recentes

  • Partebilhas

    Gostei deste seu texto.Muito bem observado. Na rea...

  • Naçao Valente

    Que não seja uma roletae que haja muita alegriaum ...

  • poetazarolho

    Vem aí um ano novoVelho já no conteúdoPara ilusão ...

  • Kruzes Kanhoto

    Presidente da Republica é um cargo decorativo. Ser...

  • simplesmente avô

    Talvez seja preferível "cem anos de solidão" a cem...



subscrever feeds